DF tem Trilha Fungi! Explore o mundo dos cogumelos no Cerrado

Sempre achei muito legal aqueles passeios de coleta e aprendizado sobre cogumelos que via na Europa e Estados Unidos. Como sou apaixonada por trilhas, sempre me deparei com várias espécies bem curiosas e tinha vontade de entender mais sobre os cogumelos do Cerrado e do Brasil. Só que nunca achei um tour parecido por aqui.

Mas isso mudou e meus desejos foram atendidos. O DF passou a ter uma Trilha Fungi esse ano! Um passeio todo dedicado a entender melhor o Reino dos fungos, que une aprendizado, contato com a natureza e atividade ao ar livre. Quer coisa melhor? Então venha comigo para entender mais sobre o incrível mundos dos cogumelos no Cerrado.

Como funciona a Trilha Fungi

Nosso guia nessa viagem é o biólogo Fábio Vieira. Desde de 2003 ele estuda fungos de forma independente. Este ano, decidiu passar para frente a paixão que tem pelos fungos e popularizar o conhecimento sobre o tema.

Então, a primeira coisa que ele faz é sentar com a gente e explicar que os cogumelos são as frutificações dos fungos. Os fungos mesmo estão geralmente escondidos no substrato da terra ou na madeira das árvores. Fala também que boa parte dos fungos são microscópicos. A gente nem vê.

Antes mesmo de pisar na trilha, temos outra conversa importante. Vamos encontrar várias espécies e manipular algumas delas. Temos que ter cuidado! Nem todos os cogumelos são comestíveis e alguns deles, se ingeridos, podem matar.

Logo, por mais que a ideia seja conhecer os cogumelos comestíveis também, nada de sair experimentando cogumelos por aí. Ou sair pegando neles e depois colocando o dedo perto da boca, olhos ou locais sensíveis. Você pode ter alergia. Não precisa ter neurose. É só cuidado.

Quais tipos de cogumelos encontramos no Cerrado

Depois da conversa e das explicações sobre cada parte dos fungos, tá na hora de sair para trilha. Para ajudar nosso processo de aprendizado, ele leva faca, lupa, trena, caneta, papel e prancheta. Se você tiver um desses itens em casa, leve também que ajuda.

Lembrando que toda saída de campa é diferente da outra. É uma loteria. De qualquer maneira, vocês irão encontrar várias espécies, mas algumas mais e outras menos dependendo da época.

Mesmo não estando num dia excelente, minha mãe e eu conseguimos, com a orientação do Fabio, observar espécies comestíveis, medicinais e outras que não querem amizade com ninguém. Foram cogumelos de várias cores e tamanhos.

Dos cogumelos comestíveis no Cerrado, ele já catalogou 30 espécies. Seis delas, com um sabor excepcional. Ele também citou um pesquisador aqui do DF, o Francisco Miranda Santos, que tem um guia de cogumelos comestíveis no Distrito Federal.

Como é a experiência de fazer uma trilha buscando cogumelos no Cerrado

Posso garantir que é uma mistura de diversão (uma vez que amo aprender), cuidado com a saúde (já que estamos fazendo uma trilha e nos exercitando) e meditação. Sim! Meditação!

Isso porque ficamos o tempo todo atentos. Presentes no aqui e agora. Olhando para cima e para baixo. A gente esquece o mundo lá fora e fica de olhos e ouvidos bem atentos, buscando as espécies de cogumelos no Cerrado. Elas ficam debaixo de folhas, galhos, na copa de árvores. Então não sobra tempo para viajar em pensamentos aleatórios.

Também é um deleite para os sentidos. Vou dar um exemplo. Quando cortamos um cogumelo comestível, ele tende a soltar um perfume de Anis. É bem interessante. Já que não são tem um aroma meio de acetona… nada agradável.

Ainda tem a experimentação de texturas diferentes. Uma das orelhas de pau que encontramos era bem aveludada, o Favolus brasiliensis era meio esponjosa e o Auricularia fuscosuccinea bem gelatinosa. Já os fungos Dedos de Zumbi, nem me atrevi a mexer.

Onde é, como participar e quando custa o passeio para analisar cogumelos no Cerrado

As próximas saídas da Trilha Fungi serão nos dias 11, 12 e 18 de dezembro. Serão todas no Jardim Botânico e seguirão o mesmo protocolo. Aula com explicação primeiro e depois a trilha. Todo o passeio dura cerca de 3 horas.

Apesar de parecer muito tempo, passa voando. Eu amei! Lembrando que vale levar capa de chuva ou guarda-chuva. Os cogumelos no cerrado só aparecem nessa época. Na chuva! Então a chance de se molhar é grande durante esses passeio da trilha fungi no DF.

O valor, por pessoa, é de 100 reais. Você consegue mais informações com o próprio Fabio no telefone 61 98443-7992.

No meu insta @babilins tem mais fotos e a marcação para os perfis do Fábio!

Venha para o time dos Descobridores!

Posts Relacionados

Fazenda Babilônia (Pirenópolis): veja preço, atrativos e se vale a pena ir na chuva ou com crianças

O melhor roteiro de 3 dias na Cidade do México: O que fazer!

É seguro viajar de avião no primeiro trimestre da gravidez?

4 comentários

Júlio Bruno 4 de dezembro de 2021 - 21:24
Às vezes ler um blog nos salva dá falta daquela aula de biologia que já nem lembravamos mais...
Bárbara Lins 9 de dezembro de 2021 - 04:27
Verdade, Júlio!
Helinux 6 de dezembro de 2021 - 00:30
Adoro natureza, faze trilhas e tirar fotos também!!!! O cerrado é rico em termos de alimentos e ambientação frutífera, sem contar a fauna que existe ali em seu habitat natural!!!! Belas imagens!!!!
Bárbara Lins 9 de dezembro de 2021 - 04:27
Demais!!!
Adicionar comentário