Museu da Pessoa Inaugura Banco Sonoro no Parque Ibirapuera (SP)

Um presentão para os paulistanos! Sabe o Museu da Pessoa? O que tinha o acervo 100% virtual? Então, eles foram para o mundo físico e criaram o Banco Sonoro de Raízes Negras, em frente ao Museu Afro Brasil, no Parque Ibirapuera. Esse texto é do nosso colaborador fixo Isac Mascarenhas.

O acervo sonoro conta histórias de vidas inspiradoras de representantes da cultura negra. Além disso, essas experiências narrativas são acompanhadas por uma por uma composição musical da Cordel Audio.

Ah, você vai ouvir tudo isso sentado numa obra de arte! A escultura/banco era uma raiz de eucalipto e foi feita pelo artista plástico Hugo França.

O banco sonoro de Raízes Negras ficará por tempo indeterminado no Ibirapuera. Se você não mora na capital paulista, pode ouvir as mesmas histórias no Spotify. E se quiser ter mais informações de atrativos de São Paulo, clique aqui!

O Museu da Pessoa

Da Vinci, Portinari, Anitta… Já imaginou fazer parte do acervo de um museu? Sim? Então chegou sua hora de brilhar! Não é no Louvre, nem no  Museu de Cera de Rolândia. É no Museu da Pessoa! O museu brasileiro virtual, gratuito e colaborativo (isso mesmo).

O museu é um espaço totalmente online que tem o objetivo de registrar as histórias de qualquer pessoa. Sim, qualquer pessoa, inclusive você. Além de poder desfrutar de todas as exposições, o visitante pode virar da coleção.

Assim que entramos no site do museu, somos recebidos por uma recepcionista que nos convida a contar uma história. A primeira vez que fomos ao cinema. O dia aprendemos a andar de bicicleta. Quando fomos no show daquele cantor da época. Pode ser em foto, vídeo ou texto  que irão se juntar aos mais de 60 mil documentos

Se assim como eu, você não tiver nenhuma história interessante pra contar, ainda pode criar uma exposição própria (!!!). Mais ou menos como uma playlist de histórias, sabe?  E depois é só compartilhar com os amigos as mais engraçadas, impressionantes ou tristes.

A minha preferida é Diários da Pandemia: Um dia por Vez. A mostra conta os relatos das pessoas afetadas pelo pandemia divididas em três etapas: manhã, dia e noite.

Não vou dar spoiler, então vai lá dar um olhada museudapessoa.org, quem sabe você não encontra um bom roteiro de cinema?

Posts Relacionados

Fazenda Babilônia (Pirenópolis): veja preço, atrativos e se vale a pena ir na chuva ou com crianças

O melhor roteiro de 3 dias na Cidade do México: O que fazer!

É seguro viajar de avião no primeiro trimestre da gravidez?