Viagens Transformadoras: Como viajar pode mudar a sua vida!

Processed with Snapseed.

Quer saber como viajar pode mudar a sua vida? Quando eu era pequena, sonhava em viajar o mundo. Só que cresci e fui bombardeada de responsabilidades, de crenças do que é o melhor para mim, de medo do que é desconhecido.

Para não ter maiores problemas, segui a cartilha do que era mais seguro e do que os outros falaram que era bom para mim. Só que chegou um momento da vida em que olhei para o lado e não me identificava com nada daquilo que tinha alcançado.

Foi aí que fui inundada por uma vontade louca de viajar. Atendi ao chamado e de 6 anos para cá foram inúmeras jornadas, viagens e aprendizados que mudaram minha vida e resgataram aquele sonho de criança. Esses relatos estão no livro que acabei de lançar, chamado Viagens Transformadoras, que você compra aqui na Amazon.

Para você entender melhor sobre o que estou falando, resumo neste post alguns pontos que vão te convencer de que viajar também pode mudar a sua vida.

1 – Você pode conhecer alguém que vai mudar a sua vida

Acredite. Uma pessoa pode mudar toda sua vida. E numa viagem, ao conhecer tanta gente nova ao mesmo tempo, essas chances aumentam consideravelmente. Seja por uma frase que alguém te falar, uma história inspiradora, um grande amor!

Entretanto, não importa se essas pessoas vão ficar na sua vida para sempre ou não. Se você se abrir para uma pessoa diferente, ela pode deixar um pouquinho dela com você. Ela muda sua trajetória, te faz questionar tudo que tinha antes.

Grupo que viajei para o Monte Roraima

No livro, eu conto a história de quando viajei para o Monte Roraima, na Venezuela, e de como as mulheres que viajaram comigo mudaram a minha vida. A viagem era apenas um treino para o Caminho de Santiago, mas se tornou um momento chave na forma como me relaciono e enxergo outras mulheres no meu dia a dia.

2 – Você pode conseguir um novo emprego

Viajar expande seus horizontes no mercado de trabalho também. Você pode, por exemplo, ver pessoas ganhando a vida de um jeito que nunca imaginou e querer investir nisso. Pode descobrir um novo negócio.

Além disso, quanto você se propõe a sair do seu mundinho, acaba se deparando com os mais variados tipos de pessoas, que podem virar seus sócios, chefes, funcionários. Você amplia sua rede de contatos.

Durante uma viagem você pode estar aberto ainda para conhecer coworkings, para visitar uma empresa referência na área que quer atuar, para sugerir troca de serviços, como fotógrafos que oferecerem seus serviços em troca de hospedagem num hotel, por exemplo ou até fazer trabalho voluntário.

Trabalho voluntário onde pude ajudar e ampliar minha rede

3 – Vendo o diferente você se enxerga melhor

Quando a gente vive numa bolha, fica difícil conseguir pensar diferente do que estamos acostumados. No nosso círculo de amigos, familiares ou nos locais que frequentamos, todo mundo acaba pensando meio parecido.

Viajar ampliar seus horizontes!!!

Mas quando você viaja e se abre para o diferente, você percebe que existem outros pontos de vista, outras formas de se relacionar, outras maneiras de viver. É no momento desse encontro com o que não é igual a você que você se enxerga como é. E a partir daí, pode decidir se quer continuar como está ou se vale a pena mudar. Autoconhecimento é o começo da mudança.

O contraste nos ajuda a ver melhor! Eu com moradoras de uma vilarejo na Venezuela

4 – Identificar velhos hábitos

Estamos sempre numa correria danada. Quando estamos imersos nas nossas rotinas, fica difícil observar nossos comportamentos e padrões. Numa viagem é diferente. Como estamos no aqui e agora, é mais fácil observar hábitos nocivos para que depois possamos tais padrões e, consequentemente, mudar de vida.

Um exemplo que conto no livro foi quando estava no meio do Caminho de Santiago com dores no corpo todo. Reparei que o problema não era nem o caminho em si, mas minha mania de ficar querendo ir no ritmo dos outros e não encontrar meu próprio ritmo. Por mais que eu amasse o grupo, precisava me respeitar. Eu precisei ficar toda arrebentada para isso, mas foi uma lição que carrego para vida!

5 –  É preciso sair da zona de conforto para mudar a sua vida

Viajar é maravilhoso, divertido, enriquecedor. Não há dúvida! Mas não é fácil. Viajar de verdade, exige sair da sua zona de conforto. Exige lidar com o diferente, quebrar cabeça tentando entender o lugar onde está, descobrir novos sabores, aromas e paisagens. Se você estiver fazendo uma viagem mais roots então… Pode exigir mais ainda do seu corpo e mente!

Mas isso é bom. Isso faz com que possamos aprender a nos virar, a lidar com o inesperado, com o que foge do nosso padrão. Abre o horizonte para que possamos administrar nossa vida de um jeito diferente e acabar tomando rumos diferentes do que tomaríamos de não tivéssemos saído do lugar.

Perdida no Marrocos…. e tá tudo bem!

6 – Você aprende a dar e receber

Essa é uma das coisas mais lindas do mundo, que descobri recentemente que tem até nome. Economia da Dádiva! Nosso sistema hoje funciona muito na base da compra e venda. Em quase todas relações é preciso haver alguma troca, especialmente financeira. Temos uma dificuldade enorme em receber sem dar nada em troca ou dar sem esperar nenhum tipo de retorno.

Eu, por exemplo, tinha uma neura enorme. Sempre me achei mega abençoada e ficava louca querem “pagar” os outros ou o universo. Vivia repetindo que “a conta não fechava”. Só que quando você viaja, descobre que em muitos casos não tem conta. E as contas funcionam de um jeito muito mais complexo do que você imagina.

No Caminho de Santiago, por exemplo, eu recebia frutas de moradores da cidade num dia, no outro compartilhava meu chocolate com outros peregrinos, no terceiro contava histórias do Brasil para velhinhos num bar, depois recebi aulas de yoga… e assim esse fluxo de dádivas ia circulando.

Em alguns albergues, inclusive, existe um armário. Você coloca o que não precisa mais e pega o que precisar. Sem ninguém para vigiar.  Trouxe isso para minha vida e vocês não têm ideia de como é revolucionário.

7 –  Te torna uma pessoa mais interessante

E só alguém descobrir que fiz o Caminho de Santiago, que visitei Chernobyl ou que subi o Monte Fuji que os olhares mudam. Ter experiência diferentes te torna uma pessoa mais interessante.

As pessoas mais legais que conheço têm experiências bem fora do comum, diga-se de passagem. Elas abriram meus horizontes para mundos antes completamente desconhecidos. Mas não precisa ser algo exótico! Ao contar sobre uma experiência de viagem mais tradicional que você teve, pode acabar descobrindo que a pessoa com quem você conversa fez uma viagem para o mesmo lugar. Isso cria laços e conexões que podem mudar a sua vida.

Japão: um dos lugares mais impactantes que já conheci

Viagens Transformadoras: o Livro!

Quer entender melhor como viajar pode mudar a sua vida? Na prática? Então dá uma olhada no livro Viagens Transformadoras. Meu livro não é um guia ou roteiro turísticos com o que fazer (isso você encontra aqui no blog ou no insta @babilins!). Na verdade, é um conjunto de relatos para te inspirar a ganhar a estrada em busca do novo e de si mesmo.

É uma inspiração para quem também não está satisfeito com o que tem hoje e que quer mudar. É ainda um alívio para quem não é muito organizado…. Mostro no livro que o importante é começar. O caminho vai se fazendo durante a caminhada! Tem uma frase famosa que fala que “o caminho te dá o que você precisa”.  

E tem mais! Como diria John Steinbeck, não é a gente que assume uma viagem, é ela que nos controla. E é só quando a gente aceita isso, que pode seguir em paz e aproveitar todas as possibilidades que ela te apresenta para mudar a sua vida. Compre o livro aqui e boa jornada!

Posts Relacionados

Moulin Vert tem animais, piscina aquecida e muito mais para quem busca o que fazer com criança em Brasília

Chalés para alugar e sinalização reforçada: Cachoeira do Indaiá, pertinho do DF, tem novidades!

Os 8 melhores lugares para ver o pôr do sol em Brasília 

13 comentários

Walkíria Lamenha Baia 5 de dezembro de 2020 - 15:29
Gostei
Bárbara Lins 9 de dezembro de 2020 - 16:51
Obrigada, Walkiria
Maria Ormy de Paula 7 de dezembro de 2020 - 10:13
Eu quero viajar
Bárbara Lins 9 de dezembro de 2020 - 16:51
Também!!!!
Rosângela Boff 8 de dezembro de 2020 - 10:11
Gostaria de mais detalhes
Rosângela Boff 8 de dezembro de 2020 - 10:13
Achei interessante sempre quis conhecer novos lugares novas perspectivas de vida
Bárbara Lins 9 de dezembro de 2020 - 16:50
Realmente, Rosangela!
José Honorato 9 de dezembro de 2020 - 22:09
Ainda não li, mas sei que é interessantíssimo. Assim como o site, poderia ter o nome de "Bárbaras Viagens Transformadoras".
Bárbara Lins 10 de dezembro de 2020 - 18:44
Uhuuuuu!!! Agradeço demais!
Thais Sautchuk Pimenta 10 de dezembro de 2020 - 21:23
Babi querida, seu spoiler já é um encanto... em 3, 2, 1 começarei e ler seu livro!!! <3
Bárbara Lins 12 de dezembro de 2020 - 10:18
Uhuuuuuuuuuuuuuuuuuuu 3, 2, 1 e coração palpitando aqui
Thais Sautchuk Pimenta 12 de dezembro de 2020 - 11:58
Musa da boa escrita, seu livro me fez sorrir, pensar, ir de carona, gargalhar: enfim, me identificar. Eu ameeeeeeeeeeeeeeeei !!! Você é demais !!!
Bárbara Lins 14 de dezembro de 2020 - 20:28
uhuuuuuuuuuuuuuu! Gratidão, Thais!!!!!
Adicionar comentário